As diferentes fases do meu cabelo...

em

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Desde que o preto azulado começou a fazer parte da minha rotina 'cabelística' recebi e-mails que pediam um post com as minhas transformações de cabelo ao longo dos anos. Achei legal essa ideia, até porque eu nunca pensei em comparar fotos mais antigas com as atuais e colocar no papel as diferenças, mas acabou que o resultado foi super massa e ainda me ajudou a decidir o novo rumo, leia-se cor, do meu cabelo.

Nunca fui de fazer muitas travessuras, apesar de eu mesma cortar e pintar o cabelo SEMPRE (a ultima vez que cortei no salão foi em 2010). Mas em questão de cores, sempre foi entre o natural, loiro e agora a maior loucura: super preto! E vou ser sincera, não me arrependo! Quando comentei que pintaria, todo mundo ficou a ponto de me matar, mas acho que essa necessidade de mudança é interna e pessoal de cada pessoa em particular e só eu sabia o quanto precisava mudar por fora! Olha só como eu já fui...

Quando eu tinha 11 anos, chorei horrores para minha mãe deixar eu fazer luzes. Naquela época ninguém tinha cabelo pintado na minha idade, e minha mãe não queria parecer uma desnaturada, mas não foi tão difícil convence-la. Fiz aquelas luzes tipo mexas sabe? Trend de 2007/2008, não me julgem. Só que além de ter ficado horrível eu também não tinha grana própria pra retocar, então deixei o cabelo crescer e fui cortando as pontas até a tinta sair e fiquei até os 14 anos com o cabelo natural.

Nessa época ocorreu uma micareta super badalada aqui na minha cidade, que por sinal foi o último ano em que fizeram. Como eu era bem nova, e lá só aparecia pessoas mais velhas, tive a brilhante ideia de virar 'legalmente loira'. Fui para o Salão determinada a voltar com os fios claros, pedi o máximo de luzes possível (acredito que a pessoa não fez nem a metade do que poderia, mas enfim) e fiquei assim. Estranho né? Eita fase!

Em Setembro, quando comecei a namorar o Felipe, um cara mais velho (eu tinha 14 e ele 19) decidi que precisava de uma mudança no visual pra tirar a cara de menina, mais uma vez, daqui uns anos vai ser ao contrário, tô ligada. Só que como não trabalhava na época, e dependia totalmente dos meus pais, optei por algo que eu mesma poderia fazer e acabei cortando o cabelo na altura dos seios e super repicado, o que deixou um visual bem mais leve, natural e despojado, porque os cachos nas pontas começaram a aparecer devido ao repicado que eu mesma fiz. Foi uma das épocas em que mais me gostei!

Só que a preguiçosa/pobre nunca tinha tempo/dinheiro pra retocar as luzes e continuar loira pro resto da vida, e foi em Fevereiro que decidi abrir mão dos fios claros e deixei o cabelo crescer. No começo era horroroso, aquela raiz enorme e escura, mas depois que o loiro chegou na metade do cabelo eu literalmente virei o cabelo 'hit' da escola, porque ou se era loira ou morena (alguns casos bem difíceis, adolescentes ruivas) e eu era uma metade de cada um, kkkkkkkk, que merda!

Começou a febre de ombré hair para todos os lados! Nas roupas, sapatos, acessórios e principalmente no cabelo. E percebi que o momento era oportuno pra entrar na ideia, já que eu os meus fios eram assim por natureza (vulgo preguiça e falta de grana), e comecei a clarear sempre as pontas do cabelo em casa mesmo (até já fiz um vídeo com o passo a passo) e todo mundo amava loucamente o meu cabelo. A pergunta fiel de todos os dias era: aonde você pintou o seu cabelo? E quando eu respondia: em casa! A pessoa ficava abismada pelo fato de ter dado tão certo, e eu também, ia com a cara e a coragem pro banheiro e tacava descolorante nos fios. 

Fiquei com o ombré no cabelo por quase um ano, e no começo de 2013 vi que precisava mudar radicalmente, depois de não ter conseguido clarear mais o loiro, foi aí que tive a certeza de que deveria trocar a cor. Fiquei super em dúvida entre o preto azulado e o ruivo natural, mas por condições financeiras, achei o preto mais legal$$$$. Só que antes de passar o preto, precisei pintar de castanho escuro para deixar os fios em um único tom (antes eram dois).

E foi nesse momento que eu fiz o que ninguém botou fé que eu faria, pintei de preto azulado mesmo, sem nenhuma dó no coração! A primeira vez que pintei foi com tonalizante, tanto o castanho quanto o preto, mas depois percebi que não valia muito a pena e passei pra tinta, que fixa bem mais e é mais em conta também.

Em Maio pintei o cabelo e decidi não retocar mais. Mantive o preto azulado por 5 meses seguidos, mas percebia sempre a mudança drástica que a tinta fez no meu cabelo: ficou super quebradiço e frágil. Então tomei a decisão de não passar tinta novamente, mas...

Pintei novamente em Agosto, porque não aguentava mais ver aquela raiz gigantesca no cabelo, não poder prender ou trançar porque a raiz iria parecer ainda mais, e pintei novamente. Mas notei mais uma vez a diferença e não pintei mais desde então. Porém ainda tem sido complicado fazer uma escolha sobre o que fazer com ele. Não sei se continuo com o preto e a tinta, ou se clareio novamente... Enfim, tá foda!

Dekapcolor: removedor de coloração dos cabelos
Mas esses dias conversando com o Felipe chegamos a conclusão que a minha melhor fase foi entre Abril e Dezembro de 2012, onde eu tinha o ombré com um tom de loiro bem bonito. Aí procurei algumas dicas sobre a descoloração de cabelos tingidos e encontrei vários artigos sobre o Dekapcolor (tem uma matéria completa com a melhor explicação que encontrei na web nesse link) e ele custa entre R$15,00 à R$25,00 e chega a remover 90% da tinta do cabelo. Acho que vou fazer isso, e depois clarear somente as pontas novamente, mas dessa vez em um salão pra ficar direitinho né? Chega dessas loucuras!

Quantas vezes você também já bagunçou o cabelo? Conta aí!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...