A intensidade afetou meu ano, ainda bem!

em

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Sempre quando preciso conversar com alguém, a primeira solução que aparece de imediato pra mim, é escrever. E porque não além de escrever, compartilhar histórias e momentos, que podem servir para alguma coisa em alguma situação, para centenas de pessoas? Quem me acompanha nas redes sociais (Facebook e Instagram) sabe o quanto o ano que passou foi FODA. Em todos os sentidos (bons e ruins). E até dos momentos inesperados, aprendi coisas extremamente valiosas! Por isso hoje vai ter textão, desabafos e um compartilhamento de situações e vivência que tenho certeza que se você ainda não passou, um dia irá passar também. HAHAHAH! 

Vamos por etapas né? Por isso vou contar um pouco pra vocês do principais acontecimentos do ano que passou, o que isso refletiu na minha vida na época, e principalmente, o que reflete hoje, depois que a maré acalmou.

MORANDO SOZINHA 

No começo do ano passado, exato um ano atrás, decidi sair de casa. Tinha acabado de completar 18 anos e tudo que eu mais queria na vida era ter minha independência. Mantive essa experiência por um longo período de 9 meses. Aprendi a valorizar quando o sol saía de manhã, pra conseguir secar o uniforme do trabalho para o outro dia. Descobri que a louça não se lava sozinha, e no final de cada refeição, a pia vira uma montanha. Descobri o quanto os móveis acumulam pó. Comecei a entender o quão difícil é organizar as tarefas da casa, com a vida ativa no trabalho e aquele 1% de vida social no final de semana. Aprendi a fazer conta, a diferenciar o preço do pé de alface, a como escolher laranja, e separar as refeições da semana. Passei a valorizar os abraços da minha mãe. A proteção do meu pai. O frango assado com maionese aos Domingos. Sem dúvidas foi a experiência mais profunda que já vivenciei. Senti na pele todos os anseios de uma vida adulta sendo mostrados da forma mais rotineira possível. 

VALEU A PENA?
Sim! Sempre fui muito independente mesmo quando morava com meus pais, mas com certeza cuidar de uma casa sozinha, ter compromissos com as obrigações e compras, foi um aprendizado pro resto da vida. Hoje vejo que se não estivesse vivenciado essa experiência no ano passado, esse ano estaria totalmente apé, pois hoje Matheus e eu moramos juntos e tudo que aprendi morando sozinha foi uma preparação pra esse ano (que eu nem esperava que fosse acontecer!).

NAMORAR AOS 18 ANOS

Nesse período MUITA coisa aconteceu. Em Abril aceitei o pedido de namoro mais lindo da vida. Uma caixa de aliança dentro de uma caixa de bombom, no dia da Páscoa, à caminho da praia onde Matheus e eu havíamos tido nosso primeiro encontro. Nesse dia eu disse SIM para muito mais do que só um pedido de relacionamento. Mas aí entra a pergunta que me fiz, antes de saber o mar de de coisas incríveis e imprevisíveis que estavam pra acontecer: "Vale a pena me envolver com alguém agora? Acabei de fazer 18 anos! Preciso viver!". Principalmente porque tinha acabado de sair de um namoro bem traumático e criei um certo pânico por relações amorosas. Acabou que toda situação, tudo aquilo que o Matheus foi durante os 2 meses que estávamos saindo, e tudo aquilo que eu acreditei que ele poderia ser entre os 10 segundos em que ele perguntou se eu queria namorar com ele até o momento da minha resposta, eu aceitei. Aceitei aquele homem, um desconhecido que tentava sair comigo à mais de 2 anos, que o destino encarregou de colocar novamente na minha vida no exato momento, e que hoje é o cara que mais amo e admiro na vida! 

VALEU A PENA?
MUITO! Eu já o conhecia à alguns anos, e o nosso primeiro contato foi em um show na minha cidade. Depois disso conversamos algumas vezes, e nunca mais nos falamos. Quase 2 anos depois, nos reencontramos, conversamos alguns dias e decidimos marcar de ir à praia (nosso primeiro encontro ♥). Sempre gostei de tudo que me desafiasse ao novo, e com ele foi exatamente assim. Ele é o meu tipo em TUDO. É daqueles que você não sabe muito bem o que esperar, entende? Ele me ligava num sábado às 10hrs e pedia pra deixar a mala arrumada porque íamos viajar depois do almoço. Aquilo sempre despertou o melhor em mim, e hoje tenho certeza que fiz a escolha certa! Namorar na auge da minha independência não foi ruim, pelo contrário, foi MUITO bom! Amadurecemos juntos e trilhar um caminho à dois é bem mais divertido do que sozinho. 

TIRAR HABILITAÇÃO PARA CARRO

Preciso declarar que ainda estou eufórica com isso! Comecei a tirar carteira em Agosto de 2015 e só agora em Janeiro consegui finalizar (fiz a prova ontem e passei de primeiraaaaaaa! Toca aqqqqqqqui!). Foi uma das fases mais incríveis da minha vida, era como se eu tivesse concluindo o meu "ciclo" de desenvolvimento de independência. É algo extremamente cansativo, mas MUITO motivador! Dirigir, ter meu próprio carro, é algo que sempre carreguei como desejo dentro de mim por toda adolescência. Quando fiz 18 anos em 2014 me vi cheia de compromissos com meu dinheiro, e acabou que passei metade do ano gastando MUITO com as contas da casa. Em Agosto o Matheus me presenteou com a auto-escola. Foi aí que começou toda a minha correria de sair mais cedo do trabalho, assistir aula teórica, ter que fazer aula prática 1x por semana porque meus horários não batiam, enfim, passei por MUITA correria desde Agosto para conseguir realizar esse sonho!

VALEU A PENA?
Preciso falar mais alguma coisa? SIMMMMMMMMMMMM! Quando passei na prova ontem, não conseguia explicar a felicidade que invadia o meu ser! Passei a manhã pedindo MUITO a Deus que me controlasse, porque sou extremamente ansiosa, e no final deu tudo certo! Receber o papel escrito "APROVADA" e escutar o examinador dizendo que a carteira chega até o final da semana é digno de fritas e chopp! Valeu a pena cada segundo de correria, aflição e ansiedade ♥

MORAR JUNTO COM O NAMORADO

Desde o começo do nosso namoro em Abril de 2015, o Matheus sempre me propôs essa ideia, principalmente pelo fato de que eu vivia apertada no mês por conta das despesas com a casa. Não dava pra pagar faculdade, comprar um carro, ou qualquer extra no fim do mês, porque definitivamente NÃO SOBRAVA! HAHAHA. Mas sabe aquele medo de precipitar o pé antes das pernas e acabar perdendo tudo que tínhamos conquistado? Eu sentia que ainda não estávamos prontos pra uma experiência tão intensa e nova. Mas em Novembro, depois de pensar e analisar muito, decidimos arriscar. Foi aí que começou toda correria, em sigilo, da nossa mudança. Comprar os móveis que faltavam, acertar detalhes da decoração, entregar a casa que eu morava de aluguel. Enfim. Essa tem sido a experiência mais desafiadora da minha vida, mas com MUITO amor!

VALEU A PENA?
Valeu e vem valendo todos os dias. Nós somos bem opostos em MUITAS coisas, principalmente em hábitos. Muita coisa que me incomoda, pra ele não faz diferença e vice-versa. Quando você divide o mesmo teto e convive com a pessoa todos os dias, existem duas possibilidades no relacionamento: dar errado ou dar certo de vez! É nesse momento que você descobre como é EXATAMENTE aquela pessoa que você ama. E por falar em amor, é ele que sustenta tudo. É ele que não faz você desistir no primeiro obstáculo, na primeira briga, na primeira discordância... Como trabalhamos e estudamos, nos vemos somente de noite, pra dormir, e aos finais de semana. Mas tem sido ótimo ter a melhor companhia da minha vida, todos os dias no outro lado da cama!

INICIAR FACULDADE DIFERENTE

Em Dezembro prestei o vestibular pra faculdade particular mais "boa pinta" aqui na minha cidade e passei. Quando escolhi o curso que faria foi uma decisão um tanto complicada. Sempre comentei com vocês que a minha prioridade era algo relacionado a comunicação, porque AMO esse mundo! Pensava em Jornalismo, Publicidade ou Marketing. Mas convenhamos: moro no interior de uma cidade, sou classe média baixa (pobe merrrrmo!), o meu salário é basicamente para pagar consórcio e faculdade, e não posso gastar mais de R$35.000,00 de faculdade em 4 anos pra depois não ganhar, no mínimo, isso por ano né? Por isso decidi que as minhas escolhas estavam erradas, partindo do tipo de vida que eu tinha e do tipo de vida que eu almejo ter. Das opções contrárias, eu sempre fui amiga de Economia e Contábeis. São três cursos que aprendi a gostar MUITO quando fiz o meu técnico de Adm. de Empresas. Acabou que decidi que faria Ciências Contábeis, avaliando exatamente pelo custo-benefício, não pensei muito pra não perder a coragem, prestei o vestibular e me matriculei. 

VALEU A PENA?

Ainda não posso dizer porque as aulas só iniciam na próxima semana, mas estou MUITO empolgada! A grade dos 4 anos de curso é muito convidativa, e me deixou bastante entusiasmada. É claro que na prática é bem diferente, e já estou pronta pra decepcionar em algum momento, mas sei dos meus planos e que tenho um objetivo maior, por isso, MUITO FOCO pra concluir! A minha meta com Contábeis é trabalhar com auditoria e planejamento, e principalmente, que seja em algum concurso público!


É isso! Esses foram os "marcos" do meu 2015. Passei por muitas provações, situações difíceis e até desesperadoras. Mas teve algo que nunca deixou de existir em mim: FÉ E FORÇA DE VONTADE! Por isso falo com a maior convicção do mundo que, se você está num momento assim, relaxa, que Deus nunca te dá um fardo maior do que você pode suportar! E tudo que acontece, tem um real motivo, de porque deve acontecer. Faça a sua parte, não se acomode ao que não te faz bem. Mude sempre que necessário e NUNCA perca a fé em dias melhores! ♥

O próximo post vou contar pra vocês um pouco do que planejei pra esse ano que vai ser O BIXO! HAHAHAHA

Deixem nos comentários o que vocês acharam, se gostam desse tipo de post, se já passaram por situações como essa. Quero muito saber um pouco mais de vocês também! ♥
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...